Setembro 2017

  • BNA intensifica a formação

    BNA intensifica a formação

    19.09.2017

    O Banco Nacional de Angola (BNA) compromete-se a intensificar a estratégia de formação, com o objectivo de reforçar competências e abordagens técnicas dos trabalhadores em matéria de Supervisão Bancária, com recurso a casos de estudos, refere a instituição financeira em comunicado.

    Para o efeito, a Academia do BNA realizou, de 4 a 8 de Setembro, o curso de formação e certificação em Política Monetária e Fiscal, em parceria com a WDR Training and Consulting e Retail Banking Academy (RBA). A formação destinada aos colaboradores afectos aos departamentos de Supervisão Prudencial (DSI), Regulação e Organização do Sistema Financeiro (DRO), Supervisão Comportamental (DSC), Estudos Económicos (DEE), Estudos Estatísticos (DES), Gestão de Riscos (DRI), Relações Internacionais (GRI), Meio Circulante (DMC), Controle Cambial (DCC), Gestão de Reservas (DGR), Mercados de Activos (DMA), Sistema de Pagamento (DSP), Operações Bancárias (DOB) e distintas delegações regionais de Benguela, Cabinda, Malanje Huíla e Huambo, transmitiu noções específicas e visão geral do papel do Banco Central na gestão da estabilidade financeira.

    O curso forneceu princípios basilares relativos à visão geral dos diversos canais da política monetária, tendo como foco os mercados financeiros, preços dos activos, consumo familiar e corporativo e instrumentos de produção. Os participantes concentraram as suas atenções nas estruturas e mecanismos que causam ou propagam distúrbios monetários, fiscais e nos instrumentos de política de prevenção ou combate de crises.

    A formação foi conduzida pelo formador da (RBA), Professor Doutor Malan Rietveld, consultor sénior com mais de 15 anos de experiência em política monetária, passando pelo Banco Mundial, o Banco de Desenvolvimento Ásiatico, PwC, Barclays e o Investec Institute.Especializou-se em Política Monetária, Gestão de Fundos Soberanos, Gestão de rendimentos provenientes de recursos naturais e Governance. Docente na Faculdade da RBA, lecciona de igual modo nas Universidades de Colúmbia e Havard.

    O Governador do BNA, Valter Filipe da Silva, chefiou uma delegação que integra Directores e técnicos do Banco central que participou em Mahe, República das Seicheles, na 45.ª Reunião Ordinária do Comité dos Governadores dos Bancos Centrais (CCBG) da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), que decorreu de 12 a 16 do mês em curso. A reunião teve como objectivo debater a questão da transformação económica dos países da Região da SADC, análise das políticas macroeconómicas, desenvolvimento do comércio e investimento na região, sistema de pagamentos, questões ligadas aos mercados financeiros, supervisão bancária e tecnologias de informação e comunicação.

    O encontro visou também fortalecer os laços de cooperação, a obtenção de conhecimento e reforçar o intercâmbio entre o BNA e os seus congéneres deste bloco regional. No decorrer da reunião, o governador do Banco Nacional de Angola manteve encontros bilaterais com os seus homólogos, com destaque para o Governador do Reserve Bank da África do Sul, com quem abordou o reforço das relações e temas de correspondência bancária, bem como com os Governadores da Tanzânia, Zâmbia e Namíbia.

    O CCBG foi instituído em 1995 para suprir a necessidade de uma estrutura especializada para a promoção e estreitamento da cooperação entre os bancos centrais da SADC.São membros de pleno direito do CCBG, 15 países, nomeadamente África do Sul, Angola, Botswana, República Democrática do Congo, Ilhas Maurícias, Lesoto, Madagáscar, Malawi, Moçambique, Namíbia, Suazilândia, Seicheles, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabué.

    Desde Março de 2016, altura em que passou a ter um novo governo, o BNA tem empreendido muitas acções que visam tornar sistema financeiro angolano credível no mercado internacional.No princípio do ano passado, Angola saiu da lista cinzenta do GAFI (Grupo de Acção Financeira contra a Lavagem de Dinheiro e Combate ao Terrorismo),ao mesmo tempo que, no mercado informal, se registou a queda do preço do dólar norte-americano em mais de 50 por cento, o que provocou uma relativa estabilidade de preços de bens e serviços.

    Quando chegou ao BNA, em Março de 2016, Valter Filipe apresentou um diagnóstico do sistema financeiro menos animador, numa altura em que o banco central estava longe de exercer o seu papel de regulador com o devido rigor, diante de bancos comerciais com problemas de promiscuidade e atropelos à ética. O novo governador passou a impor uma verdadeira autoridade de supervisão com capacidade para impor regras de boas práticas aos bancos comerciais e outras entidades financeiras, evitando eventuais desvios de divisas.

    Fonte: Jornal Angola


BNA intensifica a formação

19.09.2017

BNA intensifica a formação

O Banco Nacional de Angola (BNA) compromete-se a intensificar a estratégia de formação, com o objectivo de reforçar comp...

Banco central promove estabilidade financeira

11.09.2017

Banco central promove estabilidade financeira

A Academia do BNA realizou, de 28 de Agosto a 1 de Setembro, um Curso de Formação e Certificação em Estabilidade Finance...

Venda de divisas reduz 17 por cento

11.09.2017

Venda de divisas reduz 17 por cento

A venda de divisas voltou a registar nos últimos sete dias uma baixa, ao serem disponibilizados 138,6 milhões de euros (...